General António Ramalho Eanes

Desejo ao “navegador solitário” Ricardo Diniz o maior sucesso nesta nova missão. Uma missão diferente das que tem realizado porque, por um lado, desta vez, não irá só – irá acompanhado por uma imagem de Nossa Senhora de Fátima – e, por outro lado, irá investido de uma missão especial – entregar a imagem de Nossa Senhora de Fátima às autoridades eclesiásticas no Brasil, em Salvador da Baía.
Trata-se, pois, de uma viagem que se reveste de elevado significado espiritual e simbólico.
Que os ventos lhe soprem de feição nesta longa viagem espiritual!

General António Ramalho Eanes

Fernando Santos, Selecionador Nacional

Que Maria mãe de DEUS e nossa mãe no seu silêncio te acompanhe, te proteja e ilumine nesta viagem tão profunda e significativa, que também solitariamente vais realizar.
Seja Ela também como sempre e mais uma vez, a ponte de união entre estes dois povos irmãos.

Fernando Santos, Selecionador Nacional

Júlio Isidro

O mar é um espelho onde se reflectem os homens livres.
O Ricardo Diniz não seria feliz na sua passagem pela vida se não fosse o que é, um navegador de sonhos e projectos que leva mar fora, porque para ele navegar é preciso.
Agora, neste projecto de levar para o outro lado do mar uma imagem de Nossa Senhora e uma mensagem de fé, paz e amor, o Ricardo traz-me à memória a frase de Fernando Pessoa: – O mar é a religião da natureza.

Júlio Isidro

Padre Vitor Melícias

“Já era assim no tempo das Grandes Descobertas. Os navegadores portugueses, normalmente acompanhados de dois frades franciscanos para
assistência espiritual, conforto dos marinheiros e para lançarem a bênção às terras descobertas antes do desembarque, levavam nas naus e caravelas uma imagem da Virgem Maria, quase sempre, como no caso da viagem do Gama à Índia, de Nª Sª da Esperança ou da Boa Esperança.
Em novo roteiro do eterno Encontro de Povos e de Culturas, Ricardo Diniz, jovem e audacioso navegador solitário, assinala e reforça a ligação espiritual dos dois Povos Irmãos, levando e trazendo em sua nave solitária as imagens de Nª Sª de Fátima e de Aparecida, as duas mais expressivas devoções marianas do Portugal e do Brasil de hoje.
Que esta devoção e gesto nos tragam a proteção e bênção da bendita Mãe Universal e Comum.
Que a Senhora da Boa Esperança, que é também da Boa Viagem e do Bom Sucesso, leve a bom termo tão feliz iniciativa”.

P. Vítor Melicias, franciscano

Aura Miguel, Jornalista

“Duc in altum!” – em português, “Faz-te ao largo!” – foi o convite lançado por São João Paulo II para nos lançar na imensa aventura do terceiro milénio.

“Duc in altum” é a expressão com que Cristo animou os apóstolos e tantos santos ao longo da História a serem verdadeiros protagonistas… Ricardo Diniz sabe bem do que se trata, por isso, se “faz ao largo” tantas vezes!

Aura Miguel, Jornalista

General Rocha Vieira

Admiro no Ricardo Diniz as suas qualidades,o seu carácter e o seu comportamento.
Penso muitas vezes que foi com o este seu espírito que os nossos antepassados contactaram novos mundo,novos povos e culturas.
No Ricardo Diniz encontramos a coragem,a inteligência,a determinação,o sentido da aventura e da descoberta,a capacidade de vencer desafios e a sensibilidade de saber entender e compreender os outros.
Acima de tudo realço o seu profundo patriotismo e o orgulho que tem em ser português.

General Rocha Vieira

Alice Vieira, Escritora

“Deus quer, o homem sonha, a obra nasce.” Se Fernando Pessoa vivesse agora, eu diria que tinha escrito isto a pensar no Ricardo Diniz.
Que bom, neste mundo tão complicado e tão perigoso, existir gente assim. Que não tem medo de sonhar—e arriscar tudo pelo seu sonho .
Obrigada, Ricardo, pelo bem que nos fazes.

Alice Vieira, Escritora